quarta-feira, 16 de abril de 2014


Atendimento Educacional Especializado – AEE
Surdocegueira e Deficiência Múltipla


Maria de Jesus Lima Rodrigues
Atividade 2. 2ª Semana


Este folheto tem como objetivo apresentar o conceito de SURDOCEGUEIRA e Deficiência Múltipla - DMU. Bem como, relacionar entre as duas, quais são as semelhanças nas estratégias de comunicação.



NECESSIDADES BÁSICAS DE ALUNOS COM SURDOCEGUEIRA OU COM DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA

·         Desenvolver o esquema corporal, para que  possa se auto perceber e perceber o mundo exterior;
·         Buscar a verticalidade, o equilíbrio postural, a articulação e a harmonização de seus movimentos;
·         Desenvolver a autonomia em deslocamentos e movimentos;
·         Desenvolver o aperfeiçoamento das coordenações viso motora, motora global e fina
·         Desenvolver a força muscular.
Segundo Bosco, Mesquita e Maia, (2010, p.11):[1]

A pessoa com surdocegueira e com deficiência múltipla, que não apresentam graves problemas motores, precisam aprender a usar as duas mãos. Isso para servir como tentativa de minorar as eventuais estereotipias motoras e pela necessidade do uso de ambas para o desenvolvimento de sistema estruturado de comunicação.


ESTRATÉGIAS QUE SÃO UTILIZADAS PARA AQUISIÇÃO DA COMUNICAÇÃO

            As interações de comunicação para as pessoas com surdocegueira e/ou deficiência múltipla, devem respeitar a individualidade de cada pessoa. De acordo com Maia (2010, p.4), “divide-se a comunicação em Receptiva e Expressiva.”  A figura abaixo apresenta algumas formas de comunicação expressiva.



Figura 1. Maia, (2011, p.4)

                                Na figura dois, Maia, (2011), exemplificou formas de comunicação receptivas e expressivas.  Que segundo ele, “são utilizadas nos programas de crianças com surdocegueira e com deficiência múltipla”.



Figura 2. Maia, 2011.

            O contato com o meio, reações interações e comunicação das pessoas com surdocegueira ou deficiência múltipla, são os meios para ampliar o conhecimento de mundo. Portanto, é necessário que o mediador fique atento. Segundo, Bosco, Mesquita e Maia, “para assim compreender melhor o que o aluno tem a intenção de comunicar e responder”.

Referencias:
MAIA, Shirley Rodrigues, Aspectos Importantes para saber sobre Surdocegueira e Deficiência Múltipla. Texto em PDF, retirado do site: Acessado em: 13 de abril de 2014.

BOSCO, Ismênia Carolina Mota Gomes; MESQUITA, Sandra Regina S. Higino; MAIA, Shirley Rodrigues. A Educação Especial na Perspectiva da Inclusão Escolar: surdocegueira e deficiência múltipla. Brasília: Ministério da Educação. UFC-MEC.2010. V. 5. (COLEÇÃO a Educação Especial na Perspectiva da Inclusiva Escolar).



[1] BOSCO, Ismênia Carolina Mota Gomes; MESQUITA, Sandra Regina S. Higino; MAIA, Shirley Rodrigues. A Educação Especial na Perspectiva da Inclusão Escolar: surdocegueira e deficiência múltipla. Brasília: Ministério da Educação. UFC-MEC.2010. V. 5. (COLEÇÃO a Educação Especial na Perspectiva da Inclusiva Escolar).

Bandeira do Brasil

DHIOGO CARNEIRO DE SOUSA (10 ANOS) 5º ANO. PALMAS, 16 DE ABRIL DE 2014